EIKO TANAKA – Entrevista!

Durante o evento da “Comic-Con” deste ano, que aconteceu em San Diego, a “ANN” teve a oportunidade de conversar com a fundadora da lendária compania de animação japonesa, o “Studio 4C“, Eiko Tanaka.

Tanaka fundou o estúdio em 1986 e continua como presidente e CEO (Diretor(a) Geral) até os dias de hoje. A “Viz Media” irá lançar “Berserk: The Golden Age Arc I – The Egg of the King” em Bluray e DVD no dia 27 de novembro com direito a uma “premiere” através de um novo canal destinado a animes, o “Neon Alley“, serviço exclusivo aos usuários de PS3®, ainda este outono (Estação do ano relativa ao outono americano, que ocorre entre meados de Setembro e início de Novembro).

======================================================================================================

ANN: Qual foi sua a primeira reação em relação à aprovação da produção cinematográfica relacionada a Berserk? Originalmente, você era uma fã do mangá ou conhecia a obra de origem?

Eiko Tanaka: De fato, eu não tinha nenhum conhecimento prévio da obra original, no caso o mangá. Sabendo do fato de que o mangá já havia vendido mais de 30 milhões de cópias ao redor do mundo, eu realmente estava surpresa. Com o mangá em mãos, já em sua primeira página foi possível constatar a densidade da obra.  Eu fiquei, de certo modo, “sobrecarregada” (pessoas que leram a obra podem dizer: “É claro que você ficou “sobrecarregada””, entretanto…).

Qual foi o maior desafio enfrentado durante a adaptação do material original? Você utilizou a série de TV como referência?

O maior desafio, em termos técnicos, foram a “confecção” das armaduras e as sequências de batalha. Para as armaduras, descrever os minuciosos detalhes e produzir a sua “textura sólida natural” é muito difícil. Já nas batalhas, muitos combatentes tinham que ser desenhados, tais como a cavalaria, os arqueiros, os lanceiros, os soldados de infantaria e assim sucessívamente. A sua movimentação natural e a maneira como as armas são empunhadas, as técnicas de luta, também são pontos a serem estudados… Além disso, tinhamos que nôs perguntar: “nós vamos realmente mostrar uma cena em que um corpo é partido ao meio?” Todos esses quesitos, operando como conjunto tornam as coisas mais difíceis de serem realizadas. Qualquer um desses itens relacionados não são fáceis de reproduzir através da técnica de animação convêncional da qual o Japão tanto se orgulha.

Além disso, outra tarefa difícil foi que decidimos por adotar o formato longa-metragem, em contrapartida, que a série de TV era capaz de ser mais fiel ao original, visto que possuia mais tempo para isto.

Na sua opinião, qual é o orçamento necessário para realizar um projeto desse porte?

Bom, os filmes japoneses de modo geral, são produzidos com um custo inferior quando comparados com o padrão de Hollywood. Como produtora, eu sei o orçamento deste filme, na qual é secreta. Mas, eu gostaria de ter algo em torno de 3 bilhões de yens.

Existe um arco, que você pessoalmente está ansiosa para ver animado?

O próximo será o arco “Lost Children“, eu realmente gostaria de ver a personagem “Farnese” animada!

Se estes filmes fizerem sucesso suficiente, existe a probabilidade de se produzir mais filmes que abrangam ainda mais da estória do mangá?

O mangá conta atualmente com 36 tankobons (volumes) publicados. Nós gostaríamos de continuar a produzir a animação dessa magnífica saga até o final!

O Stúdio 4C é conhecido principalmente por seus filmes originais e descontroladamente criativos, como “Mind Game” e “Genius Party”. Com o sucesso dos filmes de Berserk, você planeja tentar outro projeto antológico?

Sim, nós faremos. Nós sempre trabalhamos com uma variedade de projetos entusiasmadamente.

Os filmes de Berserk dependem fortemente do uso do CG na animação com multidões. Porque, esta técnica em particular foi a escolhida? Você gostaria de ver o Studio 4C trabalhando mais incisivamente no emprego desta técnica no futuro?

Nós utilizamos CG (Computação Gráfica), para lugares aonde a animação convêncional era ineficaz ou muito difícil de ser empregada. Nós estávamos planejando desenhar todos os rostos e expressões faciais que possuem uma aparência mais evidente, e então combiná-los com o CG. Estou receosa, pois realmente existem partes que poderíamos ter feito melhor.

Como representante do “Studio 4C“, posso dizer que continuaremos a utilizar com entusiasmo a técnica de CG como ferramenta, no auxílio da animação convêncional (à mão), com o objetivo de produzir expressões que não poderiam ser realizadas com a animação convêncional ou CG isoladamente, sendo assim a técnica utilizada, um híbrido das duas.

Criativamente, você prefere trabalhar em projetos como “Mind Game” ou você aprecia o desafio de adaptar um material já existente?

Ambos representam desafios criativos a serem transpostos. O “Studio 4C” irá continuar a produzir obras de qualidade com o orgulho, na qual elas são identificadas. Por favor, aguarde nossos próximos trabalhos em um futuro próximo.

Como fundadora do Studio 4C, você está obviamente, a tempo suficiente na indústria de animação para vivenciar as mudanças drásticas que esse setor sofreu nos últimos 20 anos. Dentre essas mudanças, qual você acha que foi a mais positiva? Você desejaria que certas mudanças nunca tivessem ocorrido?

A grande mudança é que, a animação, de modo geral, era direcionada apenas e exclusivamente ao público infantil. Agora esse quesito está sendo reconsiderado e uma nova abordagem torna-se necessária, pois agora, já contamos com filmes que os adultos também podem aproveitar. Isso foi o que sonhei, e fico feliz em poder ve-lô tornar-se realidade.

A mudança que eu não quero ver é a recessão que se seguiu após a crise de hipotecas e então, o choque do Lehman Brothers, a crise do euro e a valorização excessiva do yen.

Agora, estamos em uma era em que a econômia global têm grande impacto sobre a indústria de animes. Eu realmente sinto que a animação de modo geral, se tornou um quesito globalizado. Eu estou feliz e orgulhosa de poder vir a “Comic-Con” e poder introduzir Berserk a todos vocês!

12 Comments

  • Muito bom!
    Gostei de ela ter demonstrado a intenção de continuar a animar o mangá, se esses primeiros movies não agradaram 100% a experiência tirada disso aplicada a projetos futuros será muito importante.

    E temos tbm mais uma comfirmação de que Berserk faz mais sucesso fora do Japão do que nele: Eiko não conhecia a obra! HEREGE! xD

  • Bela matéria e ótimo trabalho de tradução e postagem!

    • Adorei o filme ,

      Só achei que poderia ter iniciado que nem o mangá.

      Alguém sabe me dizer se terá a saga do conde ?

  • Ótima postagem. Muito interessante e informativa. Acredito que houveram 2 ponto-chaves.

    1. A admissão de que poderia ter havido um resultado melhor com relação a arte final e CG – Creio que isso tenha sido o principal motivo de descontentamento do público, até mais que a supressão de certo eventos, pois este último fica compreensivo devido ao curto tempo.

    2. A vontade explícita de produzir a série até o final – Bem, isso é algo realmente muito bom, uma esperança. Todavia não é concreto e/ou definitivo.

    Os 3 filmes estão prontos, mas a tendência é que a renda só caia, em virtude da má impressão causada pela primeira película. Há ainda a possibilidade do último levar mais pessoas ao cinema, por mostrar o Eclipse.

    Acho que muitas coisas tem que ser revistas se este projeto for adiante. Talvez algumas reformulações no desenvolvimento, alguns ajustes na arte, suporte e maior proximidade com o Miura. E serão longa metragens ou episódios curtos?

    Caio, qual a fonte dessa entrevista?

  • Nada a ver com o post, eu sei, porém queria dizer que o fundo do site ficou legal pra caralho com a foto do “projeto de filho” do Gatts/Griffith

Deixe uma resposta